Fotos: Patrícia Silva/Lance Notícias

Denúncias que envolvem cães e cavalos lideram ranking de ocorrências de maus-tratos em Xanxerê, SC

Após a efetivação do Controle de Zoonoses, mais casos de maus-tratos aos animais começaram a aparecer em Xanxerê. Além disso, várias denúncias são feitas, tanto junto ao órgão responsável pelo programa, como também às ONGs de proteção animal e também junto a Polícia Militar.

E, no último fim de semana, houve uma situação de prisão em flagrante pelo crime de maus-tratos, atendida pela PM do município. De acordo com o comandante da 4ª Companhia de Polícia Militar de Xanxerê, capitão Vilte dos Santos, as denúncias desse tipo são recorrentes.

Segundo Vilte, os casos que mais se repetem são de maus-tratos contra cavalos e cães, sendo que esses lideram o ranking das ocorrências atendidas pelos policiais.

– Neste início de ano, tivemos algumas denúncias, normalmente a ocorrência envolve cavalos e cachorros, são os mais comuns. Os cavalos normalmente já se encontram abandonados, em via pública, bastante debilitados – comenta.

Diante disso, a PM mantém uma parceria com o Grupo Bem-Estar Animal, além do convênio firmado entre o município e a Unoesc, que é quem oferece os atendimentos dentro do Controle de Zoonoses.

– Mantemos essa parceria com a ONG, que nos auxilia também para tirar o animal de rua, e, também, quando o animal está muito debilitado, procuramos encaminhar diretamente para o hospital veterinário, para que ele seja atendido por meio do Controle de Zoonose. Muitas vezes encontramos um animal com a saúde bem precária, mas nem sempre encontramos o dono. Diante disso, fizemos esses acompanhamentos – explica.

Já quando a PM atende uma ocorrência assim e encontra o responsável pelo animal, é lavrado um Termo Circunstanciado contra ele, que terá de responder na justiça pelo crime de maus-tratos e, além disso, terá de arcar com o tratamento do animal.

Segundo Vilte, a comunidade pode continuar denunciando situações de maus-tratos, mas deve sempre analisar toda a situação antes da denúncia. Além disso, a PM também busca a conscientização das pessoas quanto a prática desse crime.

– Estamos tentando criar essa consciência de que o maus-tratos, em si, é crime e que nós, enquanto instituição, estamos à disposição também para coibir esse tipo de situação na cidade. Tentamos sempre mediar a situação para que sejam encaminhadas as partes, sendo feita orientação com o dono e o animal encaminhado para receber atendimento. Mas, quando são situações de extrema gravidade, sempre seguimos a legislação e fizemos o encaminhamento, pois não cabe a nós decidir se a pessoa está certa ou errada, nós fizemos os procedimentos policiais – conclui.

Por Alessandra Oliveira

Fonte: Lance Notícias

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.