Golfinho é encontrado morto na Praia do Francês; 4º caso em dois dias em AL

Golfinho é encontrado morto na Praia do Francês; 4º caso em dois dias em AL

Mais um golfinho foi encontrado morto em Alagoas, sendo este o quarto caso registrado. O fato ocorreu na manhã desta quarta-feira (30), na Praia do Francês, em Marechal Deodoro. Equipes do Instituto Biota de Conservação foram acionadas para fazer o recolhimento do animal. Ainda não é possível, porém, afirmar se o caso tem relação com as manchas de óleo que atingem as praias nordestinas. 

“Não temos como afirmar que tem relação com o óleo, mas nunca tivemos algo assim no estado”, disse o presidente do Biota, Bruno Stefanis.

O animal foi encontrado por funcionários de um hotel que fica na região. As causas da morte deste e dos outros três golfinhos mortos em dois dias não foram esclarecidas.

Sobre o aparecimento dos animais no litoral alagoano, Stefanis afirmou que é comum o surgimento deles. “São animais costeiros, portanto, é comum se aproximar da areia e, em alguns casos, eles acabam encalhando ou caindo em rede de pesca”.

Os animais resgatados ainda se encontram congelados na sede do Biota e devem ser encaminhados para a Universidade Federal de Alagoas (Ufal), para realização da necropsia.

Outros casos

Um golfinho foi encontrado morto na tarde dessa terça-feira (29), na Praia da Avenida, próximo ao Porto de Maceió, no Jaraguá, e outro na Praia de Garça Torta, em Maceió. Já na tarde de segunda-feira (28), outro animal tinha sido encontrado em um trecho da Praia de Cruz das Almas.

O animal encontrado próximo ao Porto foi resgatado pelos voluntários ainda com vida, mas não resistiu aos ferimentos e acabou morrendo. Ele foi encontrado na areia da praia e tinha mais de um metro de comprimento. 

Apesar das marcas de cordas identificadas pelos especialistas, a causa da morte do animal somente será definida após a realização dos exames de necropsia e dos demais procedimentos cabíveis.

 Por Tatianne Brandão 

Fonte: Gazeta Web

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.