Mais de 10 mil camelos serão mortos na Austrália nesta semana

Mais de 10 mil camelos serão mortos na Austrália nesta semana

Na Austrália, helicópteros vão atirar em mais de 10 mil camelos nesta quarta-feira (8). O objetivo é impedir que os animais bebam muita água, principalmente em regiões do sul, que enfrentam uma grande seca.

Os líderes aborígines das terras de Anangu Pitjantjatjara Yankunytjatjara (APY) solicitaram o abate pois disseram que os camelos entram nas comunidades procurando por água e acabam causando estragos. São R$ 6,6 milhões em danos aos moradores todos os anos.

“Ficamos presos em condições quentes e desconfortáveis, nos sentindo mal. Os camelos estão derrubando cercas, entrando pelas casas e tentando pegar água até nos aparelhos de ar-condicionado”, disse Marita Baker, membro do conselho executivo da APY ao jornal The Australian. A situação também é crítica para o bem-estar do animal, já que muitos morrem de sede ou são atropelados durante a busca por água, e seus corpos acabam contaminando importantes fontes.

Segundo o governo australiano, a ação também servirá para controlar emissões de gases de efeito estufa, já que os animais emitem metano equivalente a 1 tonelada de dióxido de carbono por ano.

Esta não é a primeira vez que camelos serão abatidos no país. Isso porque desde o século 19, quando os animais foram importados do Oriente Médio, da Índia e do Afeganistão para serem usados como transporte de cargas pesadas, sua população vem dobrando incontrolavelmente. Sendo assim, os abates acontecem legalmente desde 2009 (eles já viraram até comida de crocodilos).

Os camelos e dromedários são considerados pragas na Austrália – há 1,2 milhão deles por lá. Esses animais podem viver até 60 anos, aguentam temperaturas extremas e bebem 200 litros de água de uma só vez.

Fonte: Galileu


Nota do Olhar Animal: A foto é de um dromedário, também conhecido por ‘camelo árabe’.

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.