Moradores do Capão (BA) denunciam surto de cinomose e morte de dezenas de cães na Chapada

Moradores do Capão (BA) denunciam surto de cinomose e morte de dezenas de cães na Chapada
Foto: Divulgação / Fauna Capão

Os moradores do Vale do Capão, região da Chapada Diamantina (BA), denunciaram, nesta quarta-feira (11), um surto de cinomose entre os cães da localidade. Ao Bahia Notícias, o grupo Fauna Capão afirma que foram mais de 30 mortes entre a população canina e outras dezenas de animais, principalmente de rua, já apresentam os sintomas da doença.

A cinomose é uma doença viral que afeta cães e é classificada como altamente contagiosa. Entre os sintomas estão febre, falta de apetite, tosse, secreção nasal, vômitos, diarreia e até convulsões e paralisia. Segundo o grupo, além das mortes já registradas, outros vários cães domésticos já testaram positivo para o vírus.

Os moradores afirmam ainda que já buscaram apoio das autoridades, no entanto, não houve resposta. Em nota, eles dizem que as reuniões com a Prefeitura não foram bem-sucedidas “Foram feitos inúmeros pedidos de reuniões com a Prefeitura, tanto através da Câmara de Vereadores quanto diretamente na Secretaria de Saúde, buscando ações de controle, campanhas de conscientização e vacinação em massa. No entanto, lamentavelmente, esses apelos até o momento não foram atendidos.”, detalha a nota.

Quando procurada pelo Bahia Notícias, a Secretaria de Saúde de Palmeiras, município onde se localiza o distrito do Vale do Capão, afirmou que o órgão não notifica os casos de cinomose e negou que haveria um surto da doença na região. “Fomos informados sobre dois casos não confirmados. Não há informação sobre um surto”. Entre os animais domésticos, a doença afeta apenas os cães, já na natureza, também atinge outros como raposas e espécies do gênero canis.

A cinomose não possui tratamento específico e as baixas taxas de cura vêm acompanhadas por sequelas diversas. Na nota divulgada, os locais citam que “O único Pet Shop da cidade tem feito campanhas de divulgação, efetuado vacinação, aplicado testes, sugerindo tratamentos paliativos”. O grupo afirma que precisa de apoio social para conscientizar os tutores de animais e buscar apoio para deter a propagação da cinomose na região.

Fonte: Bahia Notícias