Mutirão de castração para cães e gatos é suspenso na BA após conselho apontar ilegalidade; médico nega irregularidade

Mutirão de castração para cães e gatos é suspenso na BA após conselho apontar ilegalidade; médico nega irregularidade

Um mutirão de castração para cães e gatos, previsto para ocorrer nesta sexta-feira (25), no ginásio de esportes da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (Uesb), em Vitória da Conquista, foi suspenso pela vigilância sanitária do município localizado no sudoeste da Bahia.

Vídeo: Vigilância sanitária impede realização de mutirão para castração de animais em Conquista.

Esse seria o quarto mutirão que iria acontecer na cidade. Eram previstas 280 castrações nos quatro dias de evento e nesta sexta-feira, 40 cirurgias estavam previstas. O mutirão foi impedido de acontecer após uma determinação do Conselho Regional de Medicina Veterinária da Bahia.

Conforme o Conselho de Medicina Veterinária da Bahia são ilegais e irregulares as castrações que estão sendo realizadas pelo médico veterinário Rodrigo Mendes. Segundo o conselho, o projeto executado não está registrado no órgão, procedimento que é obrigatório, e descumpre a lei e as legislações que tratam do tema, comprometendo, a saúde e o bem-estar dos animais e da população.

O mutirão é promovido por um grupo de protetores independentes sob responsabilidade do veterinário. Segundo Rodrigo Mendes, ele tem uma autorização de 5 de novembro do ano passado, com validade de um ano, para atuar em quatro cidades da Bahia, incluindo Vitória da Conquista, e que o impedimento foi feito com base em uma nova determinação do conselho que não foi comunicada a ele.

O Conselho disse ainda que o médico já havia sido multado no mês de junho deste ano, juntamente com a prefeitura, pela campanha realizada na cidade de Mairi, no centro-norte baiano, e posteriormente notificado pelas ações realizadas nas cidades de Canavieiras e Cruz das Almas e, ainda assim, anunciou as datas para uma nova ação na cidade de Vitória da Conquista.

O conselho de medicina destacou que é a favor dos mutirões de castração desde que os procedimentos sigam as diretrizes legais, entre elas, o registro do projeto para com a autarquia por meio de formulário específico e com antecedência mínima de 60 dias da data prevista para a realização e que cumpra o disposto na lei.

Fonte: G1


Nota do Olhar Animal: Um CRMV novamente se apegando a burocracias para atrapalhar a ação de protetores de animais. Outras tentativas foram derrubadas na Justiça e esta possivelmente caminhará para o mesmo fim.

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.