Após denúncia PM prende jovem e encontra cadela extremamente debilitada em Poços de Caldas, MG

Após denúncia PM prende jovem e encontra cadela extremamente debilitada em Poços de Caldas, MG

A Polícia Militar recebeu uma denúncia de maus-tratos contra animais aqui em Poços de Caldas. O caso foi atendido na rua Joaquim Guimarães, no bairro São Sebastião. Quando o PM chegou ao local, foi feito contato com um jovem de 22 anos que estava na residência. A guarnição entrou na casa, e se deparou com uma cadela extremamente debilitada e deitada no chão do quintal.

Foi feito acionamento de uma representante do CCZ – Centro de Controle de Zoonoses de Poços de Caldas para averiguação do caso. Uma veterinária foi até a casa e constatou que a cadela estava em estagio de Anemia extremamente avançado, apresentava diversas feridas, debilidade para se locomover, bem como diversos carrapatos pelo corpo.

Ela informou, a partir disso, que se tratava de fato de maus-tratos a animais. Em entrevista ao autor, ele relatou que estava atualmente morando na residência, que pertence a sua mãe. Disse ainda que a dona da cadela é sua irmã, mas que viajou para São Paulo. Ainda segundo o rapaz, a cadela foi atropela a cerca de vinte de dias mas que a família não possui dinheiro para custear a consulta veterinária nem tratamento do animal. Estiveram também presentes no local, segundo consta no Boletim de Ocorrência, membros da Associação de Proteção aos animais de Poços de Caldas.

A partir disso foi oferecido pelos membros da associação em levar a cadela para tratamento médico e, posteriormente, após sua recuperação, colocá-la para adoção. Tal oferta foi aceita pelo jovem de 22 anos, que alegou estar desempregado e não ter condições financeiras de cuidar do animal.

Com base no artigo 32 da lei de crimes ambientais – decreto lei 9.605/98, foi dado voz de prisão ao autor. Por se tratar de crime de menor potencial ofensivo, não foi imposto o auto de prisão em flagrante, haja vista que o autor assumiu o compromisso de comparecer ao juizado especial criminal. O autor permaneceu no quartel do 1º pelotão da 162º CIA PM o tempo estritamente necessário para a confecção deste registro.

O animal foi encaminhado ao núcleo veterinário para atendimento.

Fonte: Poços Digital

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.