Após ser agredido com chutes e pontapés pelo tutor, cachorro tem duas costelas fraturadas

Após ser agredido com chutes e pontapés pelo tutor, cachorro tem duas costelas fraturadas
Cachorro foi brutalmente espancado pelo tutor, com chutes e pontapés - Créditos: Reprodução

Uma cena incrédula ganhou as redes sociais nos últimos dias. Trata-se de um homem, que foi filmado chutando e arrastando um cachorro pelo pescoço no corredor de um prédio em Praia Grande, na Rua José Lemos do Rego, no bairro Solemar. Após as agressões, o animal foi levado para uma clínica veterinária, onde foram feitos exames e constatado que ele teve duas costelas fraturadas.

Assista às cenas.

Após denúncia ao Ministério Público de São Paulo (MP-SP), a Justiça de Praia Grande determinou o cumprimento de um mandado de busca e apreensão no apartamento do suspeito, que foi realizado pela Polícia Civil. As informações oficiais sobre uma eventual detenção dele, porém, ainda não foram divulgadas.

Com a divulgação das imagens da agressão nas redes sociais, um vereador da cidade foi até o apartamento do suspeito e, ao receber autorização dele, levou o cão até uma clínica veterinária em São Vicente.

Na unidade de saúde animal, o cachorro passou por exame de raios-x, que constatou fraturas em duas costelas, de acordo veterinário Gustavo Palmieri. Em seguida, o cão foi levado para o Instituto Eu Luto Pelos Animais, localizado na capital paulista.

O agressor, ao ser contatado por telefone, não respondeu até a última atualização desta reportagem.

Agressões

Nas imagens, gravadas por uma câmera de monitoramento no corredor do prédio, é possível ver o homem dando quatro chutes no animal antes de pegá-lo pela pescoço e ‘caminhar’ com ele na mão.

Autoridades

O Ministério Público de São Paulo foi contatado, e alegou que o caso está sob sigilo.

Já a Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo (SSP-SP), informou, em nota, que o caso é investigado pela Delegacia de Investigações Gerais de Praia Grande.

De acordo com a pasta, a equipe da unidade realiza diligências, com o objetivo de “total esclarecimento dos fatos”. Os detalhes, segundo a SSP-SP, foram preservados para garantir “autonomia ao trabalho policial”.

Por Luís Henrique Santana

Fonte: Folha Santista

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.