Cavalos maltratados na Austrália vão parar no prato dos suíços

Cavalos maltratados na Austrália vão parar no prato dos suíços

No domingo, o programa “Mise au point” Link externoda emissora pública suíça RTS mostrou imagens de cavalos sendo espancados, chutados e eletrocutados no matadouro Meramist, perto de Brisbane. As filmagens da câmera escondida tiradas no ano passado foram enviadas anonimamente ao grupo suíço de proteção aos animais Tierschutzbund ZurichLink externo.

Veja abaixo a reportagem-bomba da TV australiana sobre os maus tratos a cavalos (em inglês):

De acordo com os registros alfandegários, cerca de 300 toneladas de carne de cavalo foram importadas da Austrália para a Suíça entre 2018 e 2019. Sabrina Gautner, do Tierschutzbund Zurich, está convencida de que toda a carne de cavalo australiana passa pelo matadouro de Meramist, onde os maus tratos foram filmados.

“O segundo maior abatedouro australiano aprovado para exportação não está abatendo cavalos no momento, assim que podemos deduzir que o Meramist é o único fornecedor do país para a Suíça”, disse ela à RTS. Sua organização quer que a Suíça elimine a importação de carne de cavalo do exterior.

A carne de cavalo australiana é obtida por dois distribuidores na Suíça: um em Basileia e outro em Clarens, perto do Lago de Genebra. A Associação Suíça de Importadores de Carne de Cavalo recusou-se a responder às perguntas enviadas pela RTS.

A Austrália abate cerca de 100.000 cavalos por ano para exportação. Em 2019, 2.406 toneladas de carne de cavalo foram importadas para a Suíça: 541 toneladas da Argentina, 446 toneladas do Canadá, 408 toneladas da Espanha, 270 toneladas da França, 182 toneladas da Itália, 151 toneladas do Uruguai, 132 toneladas da Austrália.

Fonte: SWI


Nota do Olhar Animal: A violência revelada nesta matéria é terrível e inaceitável, mas é apenas um AGRAVANTE em relação à violação maior, naturalizada pela indústria frigorífica e aceita por muitas pessoas, que é o ABATE em si. O sofrimento imposto cotidianamente aos animais nas “linhas de produção” de carne não é menos repulsivo e imoral do que a violação do principal interesses dos animais, que é o interesse em viver.

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.