Marmitas veganas sendo preparadas, em Goiânia — Foto: Grupo Servindo Amor/Arquivo Pessoal

Voluntários distribuem marmitas veganas a moradores de rua em Goiânia

Um grupo de voluntários distribui marmitas veganas para moradores de rua no setor Central, em Goiânia. De acordo com os organizadores, o grupo “Servindo Amor” tem como objetivo levar afeto para as pessoas, mas também incentivar o respeito aos bichos, a partir da distribuição de marmitas sem produtos de origem animal.

A idealizadora do projeto, Juliana Freire, conta que a ideia de fazer marmitas veganas beneficia tanto a saúde dos moradores de rua quanto a preservação de animais. As marmitas são preparadas por um nutricionista voluntário, que a cada entrega elabora um cardápio diferente de refeição.

“Na última entrega, o cardápio contou com arroz, feijão, macarrão bolonhesa, carne de soja, beterraba, chuchu e cenoura. Além de sustentável, a marmita vegana é saudável e traz saciedade para os moradores de rua”, conta Juliana.

O grupo, que surgiu em novembro de 2018, tem dez voluntários e já distribuiu cerca de 150 marmitas veganas. As ações acontecem mensalmente, sendo cada dia um cardápio diferente, mas todos eles sem produtos de origem animal.

“Além de diferente e gostosa, as marmitas também são sustentáveis, por serem veganas”, disse Juliana.

Segundo ela, o cardápio pretendido para a próxima entrega de marmitas sempre é publicado no início do mês nas redes sociais do grupo. O intuito é de facilitar a doação para aqueles que pretendem ajudar.

Além da entrega de marmitas, o grupo pretende realizar ações com terapeutas para as mulheres que moram na rua e sofreram abusos sexuais e psicólogos.

A entrega das marmitas é feita na Avenida Indepêndencia no Setor central, em Goiânia — Foto: Grupo Servindo Amor/Arquivo Pessoal
A entrega das marmitas é feita na Avenida Indepêndencia no Setor central, em Goiânia — Foto: Grupo Servindo Amor/Arquivo Pessoal

Por Vanessa Chaves, G1 GO (Vanessa Chaves é integrante do programa de estágio entre TV Anhanguera e Pontifícia Universidade Católica de Goiás (PUC-GO), sob orientação de Elisângela Nascimento.)

Fonte: G1

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.