Galos eram mantidos em cubículos individuais e utilizados em brigas com apostas (Foto: Ibram / Divulgação)

Ibram apreende 70 galos de briga encontrados no Lago Oeste, em Brasília, DF

Agentes de fiscalização do Instituto Brasília Ambiental (Ibram) apreenderam 70 galos de briga de dois criadores clandestinos na tarde desta sexta-feira (15/12). Os animais eram utilizados para rinhas que aconteciam no Lago Oeste. Os dois responsáveis pelas aves foram presas e encaminhados à Delegacia Especial do Meio Ambiente (Dema), onde ainda estão detidos.

Os fiscais foram à região para investigar denúncias sobre caça de animais e encontraram uma casa em que dezenas de galos eram mantidos para serem usados em combates. A apreensão foi a segunda maior do tipo neste ano no Distrito Federal, segundo o Ibram.

Segundo a gerente de fiscalização de fauna e recursos pesqueiros do Ibram, Karina Torres, além dos galos, os funcionários do órgão encontraram medicamentos, gaiolas, bisturis e um tambor no formato de octógono, dentro do qual os animais eram colocados para brigar.

“Eles são animais extremamente territorialistas. Por estarem nesse espaço reduzido, a tendência é de que eles se atraquem. Além disso, é comum encontrarmos remédios nesses lugares. Eles auxiliam tanto na recuperação quanto para aumentar o vigor das brigas”, explica Karina.

Por se tratarem de crimes de menor potencial ofensivo, os dois homens encaminhados à Dema e apresentados como donos das aves assinarão termos circunstanciados e poderão responder em liberdade. Os responsáveis geralmente recebem multas administrativas e a pena costuma ser convertida em ações alternativas.

Fonte: Correio Brasiliense

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.