Bolsonaro contesta pena maior para maus-tratos a animais e diz que fará ‘enquete’

Bolsonaro contesta pena maior para maus-tratos a animais e diz que fará ‘enquete’
Bolsonaro citou que existem pessoas próximas a ele reclamando que a nova pena seria "muito alta" | Foto: Marcos Corrêa / PR / Divulgação / CP

O presidente Jair Bolsonaro afirmou que vai lançar uma espécie de enquete no Facebook para decidir se vai sancionar ou não a proposta que aumenta a pena para maus-tratos contra cães e gatos, aprovada pelo Congresso. Pelo texto que passou no Legislativo, a pena passaria para cinco anos de reclusão

“O que eu pretendo fazer, vou colocar no meu Facebook, o texto da lei, para o pessoal fazer comentários. Só deixo avisado, quem for para a baixaria é banimento. Pode reclamar, a pena é excessiva, é grande, tem que sancionar, tem que vetar. Porque não é fácil tomar uma decisão como essa daí”, disse o presidente.

Bolsonaro indagou a youtuber mirim Esther Castilho, de 10 anos, que também acompanha a live ao lado do presidente, sobre o assunto. “Dá para você entender o que são dois anos de cadeia porque uma pessoa maltratou um cachorro? A pessoa tem que ter uma punição, mas dois anos… Dois a cinco anos”, comentou Bolsonaro.

“Eu acho que é muito pouco (a pena), viu. A gente tem que cuidar do animal, não tem que maltratar ele”, afirmou a youtuber após o presidente perguntar o que ela achava da possibilidade de uma pena média de 3,5 anos de prisão para quem maltratar animais.

Em outro momento, Bolsonaro fez uma comparação de que a pena para abandono de incapaz, como um recém-nascido, é de seis meses a três anos. Ele questionou, então, a opinião do presidente da Embratur, Gilson Machado Neto, que avaliou que as duas penas para os diferentes crimes são baixas, já que considera que os animais também são “incapazes”.

O presidente também lembrou que, recentemente, a primeira-dama, Michelle Bolsonaro, adotou um cachorro abandonado. No último final de semana, durante a cerimônia do Dia da Independência, ela apoiou uma feira de adoção de cachorros em frente ao Palácio da Alvorada, a qual o presidente também prestigiou.

Segundo Bolsonaro, há lobby do “pessoal que defende animais” para ele sancionar a proposta que aumenta a pena. Ele também citou, no entanto, que existem pessoas próximas a ele reclamando que a nova pena seria “muito alta”. “Quem aí maltrata animais, a pena vai passar de dois anos para cinco anos de reclusão. É cana. Isso se eu sancionar isso aí”, disse Bolsonaro durante a transmissão.

Fonte: Correio do Povo


Nota do Olhar Animal: Resta saber como votarão na enquete os robôs a serviço do presidente, que o ajudaram a se eleger. Os indícios são de que irá vetar o PL, até porque não interessa aos caçadores apoiados por Bolsonaro que usam cães em suas caçadas. Sem falar, claro, em todos que de alguma forma exploram cães e gatos e que poderão se tornar alvo denúncias com base nessa lei, como os criadores.

‘Esporte saudável’: Bolsonaro defende liberação de caça no Brasil

Bolsonaro diz que pretende implementar caça submarina em área protegida

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.