CAMPO DA MORTE: O abandono e a crueldade com animais em pasto entre Tijucas e Porto Belo, em SC

CAMPO DA MORTE: O abandono e a crueldade com animais em pasto entre Tijucas e Porto Belo, em SC
Foto: Divulgação

Um verdadeiro “cemitério de animais” é como pode ser descrito o pasto no bairro Sertão de Santa Luzia, situado na divisa com Tijucas e próximo à Sucatas Valmolin. Uma investigação levantou dados alarmantes sobre as condições em que esses animais vivem — ou tentam sobreviver.

Para começar, a grande maioria dos animais não possui registros junto à CIDASC (Companhia Integrada de Desenvolvimento Agrícola de Santa Catarina). Sem esse registro, os animais ficam sem o devido acompanhamento veterinário, fator que tem contribuído para o alto índice de mortes por falta de alimentação e doenças diversas. Um dos problemas recorrentes é a bicheira, que não é tratada pelo proprietário do pasto.

A desnutrição é outra questão crítica. Muitos animais estão visivelmente magros e enfraquecidos, tornando-se alvos fáceis para urubus que se aproximam para atacar aqueles que estão à beira da morte. Não raras vezes, animais já foram encontrados mortos, sem qualquer tipo de destinação, deteriorando-se ao ar livre e sendo consumidos por aves de rapina.

O abandono é evidente também na estrutura do local. As cercas do pasto estão deterioradas e sem qualquer manutenção, o que permite a fuga dos animais para a estrada. Essa situação já fez com que bovinos morressem à beira da via, obrigando a prefeitura de Porto Belo a intervir com o uso de retroescavadeiras para o enterro dos corpos.

O cenário de completo descaso é agravado pela postura do proprietário. Quando alertado sobre a situação dos animais, responde com grosseria e estupidez, ignorando completamente a gravidade do problema. Além disso, foi descoberto que ele possui outro pasto em Terra Nova, que também se encontra nas mesmas condições de abandono e negligência.

Por Matheus Carvalho

Fonte: Jornal Razão