Carrefour é criticado por vender carne de zebra

Carrefour é criticado por vender carne de zebra

Um grupo ativista dos direitos dos animais chamou os supermercados franceses de “chocantes” por venderem carne de animais exóticos, especialmente a zebra, que é uma espécie ameaçada de extinção.

Uma organização ativista dos direitos dos animais condenou uma das maiores redes francesas de supermercados por vender carnes “exóticas”, incluindo zebra, mas também avestruz, canguru e bisão por causa da época festiva.

Um estudo feito pela organização 30 Million d’Amis identificou os supermercados Carrefour, Auchan, Intermarché, Houra e Cora por venderem ou terem vendido nas lojas físicas ou online a carne de alguns desses animais com marcas que incluem Damien de Jong, Maítre Jacques ou Saveurs-forestières, que oferece filés de zebra marinados no mel.

Vender essas carnes não é ilegal, mas a organização disse que é revoltante que supermercados vendam carne de animais, como a zebra, que são espécies ameaçadas de extinção.

A carne de zebra vendida na França vem de fazendas da África do Sul, que são completamente legais. Mas na natureza, um quarto da população de zebras comuns desapareceu nos últimos 25 anos e, em alguns países, elas são encontradas somente em reservas naturais.

“Em uma época onde a biodiversidade do mundo está entrando em colapso, vender carne de uma espécie ameaçada de extinção é desconcertante”, a organização disse. “Isso manda uma mensagem muito errada para os consumidores e dá a impressão, completamente falsa, de que as populações selvagens de zebras são robustas”.

As pessoas também mostraram sua revolta na mídia social.

“Olá @CarrefourFrance, para 2019, você também poderia fazer filés de panda? Obrigado por ter filés de zebra em suas prateleiras porque há cada vez menos na natureza”, comentou sarcasticamente o comediante Rémi Gaillard no Twitter.

Os franceses não comem muita “carne exótica”, como essas que causaram essa controvérsia, e consomem em média uma vez ao ano, e menos de 300 gramas por pessoa anualmente, ao contrário dos 86 quilos médios de carne “comum”.

Tradução de Alice Wehrle Gomide

Fonte: The Local


Nota do Olhar Animal: Igualmente revoltante é que organizações de defesa dos animais considerem boi, porcos e aves menos dignas de respeito do que zebras. Respeito traduzido, claro, no posicionamento contra o abate destes animais, na não cumplicidade com a matança, no não financiamento deste holocausto. Zebras, vacas, porcas… todos estes animais merecem igual consideração.