Homem é flagrado pela câmera quando agredia cachorro no elevador

Homem é flagrado pela câmera quando agredia cachorro no elevador

Um homem foi preso depois que um vídeo da vigilância o mostrou quando agredia o cachorro do seu amigo no elevador em um bairro de Miami, EUA.

Vizinhos identificaram o homem no vídeo como Karim Ellaisy, de 21 anos. O vídeo foi feito no dia 30 de janeiro.

Ellaisy foi preso e acusado de crueldade animal, mas os vizinhos disseram que isso não era suficiente.

O vídeo mostra que o homem entra no elevador com um filhote de seis meses chamado Ajax, que aparentemente estava acidentado. Ellaisy pode ser visto ao arremessar o Husky na parede e bater repetidas vezes no animal.

De acordo com o relatório da prisão, o filhote pertencia ao colega de quarto de Ellaisy.

“É uma atrocidade. Não é aceitável, em minha opinião, e eu vou manter isso”, disse o ativista de direitos dos animais Kathy Bieniek.

O advogado de Ellaisey, Richard Cooper, chamou o que aconteceu de uma situação lamentável.

“Eu posso contar a você que meu cliente tem um histórico criminal limpo, nunca foi preso antes em sua vida. Ele tem sido mal interpretado no tribunal da opinião pública”, disse Cooper.

Cooper não quis entrar em detalhes do caso, mas deu notícias atualizadas do estado do cachorro.

“Eu posso falar a vocês que o cachorro está salvo. Ele está saudável. O dia depois do incidente, ele foi ao veterinário e recebeu um atestado de saúde completo”, disse Cooper. “Eu posso falar a vocês que apesar de meu cliente estar sendo mal interpretado no tribunal da opinião pública, acredito que no tribunal ele será inocentado”.

O cachorro desde então voltou ao seu tutor, que é onde mora o homem de 21 anos.

Quando perguntado porque o animal voltou para o lar onde Ellaisy vive, um porta-voz do Condado a Serviço dos Animais de Miami, Dade, disse em uma declaração: “O homem preso não era o proprietário do cachorro e o cachorro permanece na custódia do seu dono”.

Por Meredith Corporation / Tradução de Fátima C G Maciel 

Fonte: Kmov

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.