Instituto Argonauta já atendeu 11 mil animais marinhos nos últimos seis anos no Litoral Norte de SP

Instituto Argonauta já atendeu 11 mil animais marinhos nos últimos seis anos no Litoral Norte de SP
Instituto Argonauta já atendeu 11 mil animais marinhos nos últimos seis anos no Litoral Norte de SP — Foto: Divulgação/Instituto Argonauta

Entidade focada nos trabalhos de conservação dos ecossistemas costeiros e marinhos, o Instituto Argonauta, de Ubatuba (SP), já atendeu mais de 11 mil animais nos últimos seis anos no litoral norte de São Paulo – a maioria, no entanto, é encontrada já morta (veja detalhes de 2022 baixo).

Confira o levantamento dos animais atendimentos a cada ano:

  • 2016: 1.584
  • 2017: 1.795
  • 2018: 2.404
  • 2019: 1.353
  • 2020: 1.580
  • 2021: 1.026
  • 2022: 1.288
  • Total: 11.030

O instituto faz parte de um grupo executa o Projeto de Monitoramento de Praias da Bacia de Santos (PMP-BS), conduzido pelo Ibama.

O atendimento aos animais marinhos envolve profissionais de campo e equipes que trabalham na reabilitação. São realizados diagnósticos dos que chegam vivos e necropsias dos que são encontrados mortos.

“Vale destacar que muitos sofrem com ações humanas como agressões, poluição, descarte de lixo incorreto e capturas acidentais pela pesca. Essas interações muitas vezes são tão graves a ponto de não conseguirmos reabilitar e salvar estes animais”, explica a médica veterinária Raquel Beneton Ferioli.

Instituto Argonauta já atendeu 11 mil animais marinhos nos últimos seis anos no Litoral Norte de SP — Foto: Divulgação/Instituto Argonauta
Instituto Argonauta já atendeu 11 mil animais marinhos nos últimos seis anos no Litoral Norte de SP — Foto: Divulgação/Instituto Argonauta

Lixo na temporada

O problema aumenta ainda mais com a chegada da temporada de verão. Com o número de pessoas bem maior na região, a quantidade de lixo é, consequentemente, mais alta, o que preocupa as autoridades ambientais da cidade.

De acordo com o Instituto Argonauta, só a entidade já recolheu mais de 41 toneladas de lixo nas praias do Litoral Norte desde 2016.

“A gente percebe que essa época tem um grande aumento do lixo que é descartado nas faixas de areia e isso aumenta muito a interação dos animais com esses materiais, principalmente as tartarugas, que ingerem bastante plástico. Todo lixo que vai parar no mar é um causador de irritação na fauna”, afirma a oceanógrafa Tami Ballabio.

VÍDEO: Mais de 80% dos animais encontrados nas praias em 2022 estavam mortos

Ocorrências em 2022

Em relação ao ano de 2022, dos 1.288 animais atendidos no Litoral Norte pelo Instituto Argonauta, 81% foram encontrados mortos e apenas 18% vivos, o que é preocupante.

O grupo que teve maior atendimento de ocorrências foi o de tartarugas-marinhas: foram 794, sendo 2% envolvendo animais vivos e 98% animais mortos.

O grupo de aves marinhas representou 382 dos atendimentos, sendo 27% vivos e 73% de mortos. Por fim, o grupo de mamíferos teve um total de 112 ocorrências, com 3% de animais vivos e 97% mortos.

Em relação ao grupo de mamíferos, as toninhas, espécie de golfinho mais ameaçada do Brasil, foram as líderes de ocorrências. 64 animais foram encontrados mortos, maior número nos últimos 5 anos.

Instituto Argonauta já atendeu 11 mil animais marinhos nos últimos seis anos no Litoral Norte de SP — Foto: Divulgação/Instituto Argonauta
Instituto Argonauta já atendeu 11 mil animais marinhos nos últimos seis anos no Litoral Norte de SP — Foto: Divulgação/Instituto Argonauta

Depois das toninhas, o maior número de atendimentos aconteceu com boto-cinza, golfinho-pintado-do-atlântico, baleia-jubarte e golfinho-comum.

Já com as aves marinhas, os pinguim-de-magalhães foram os animais com o maior número de ocorrências. Na sequência vem biguá, atobá-pardo, bobo-pequeno e o bobo-grande-de-sobre-branco.

Instituto Argonauta já atendeu 11 mil animais marinhos nos últimos seis anos no Litoral Norte de SP — Foto: Divulgação/Instituto Argonauta
Instituto Argonauta já atendeu 11 mil animais marinhos nos últimos seis anos no Litoral Norte de SP — Foto: Divulgação/Instituto Argonauta

No grupo das tartarugas, a tartaruga-verde foi que somou maior número de ocorrências, seguida por tartaruga-oliva, tartaruga-cabeçuda, tartaruga-de-pente e a tartaruga-de-couro.

Visita curiosa

Entre toda a lista divulgada pelo Instituto Argonauta, o elefante-marinho foi o único animal a receber atendimento uma única vez no Litoral Norte durante todo o ano. Isso porque a aparição desta espécie é considerada rara.

A visita do elefante-marinho aconteceu março, em Ubatuba. De acordo com a entidade, o animal se deslocou pela costa em busca de um lugar tranquilo para descansar e fazer a “muda”, que consiste na renovação da pele e dos pelos.

Com cerca de quatro metros de comprimento e duas toneladas, o macho juvenil foi acompanhado de perto pelas equipes por quatro dias.

Instituto Argonauta já atendeu 11 mil animais marinhos nos últimos seis anos no Litoral Norte de SP — Foto: Divulgação/Instituto Argonauta
Instituto Argonauta já atendeu 11 mil animais marinhos nos últimos seis anos no Litoral Norte de SP — Foto: Divulgação/Instituto Argonauta

Fonte: g1