Vídeo de soldado do Exército chutando gambá causa revolta no Sul do ES

Ele estava no Quartel quando o animal apareceu no pátio.

3765

VÍDEO: ATIRADOR DO TG DE CACHOEIRO FLAGRADO ESPANCANDO ANIMAL Um vídeo que circula nas redes sociais em Cachoeiro de Itapemirim, Sul do Espírito Santo, flagrou um Atirador do Tiro de Guerra 01-012 de Cachoeiro de Itapemirim, espancando um Gambá dentro do Corpo da Guarda da instituição.

Publicado por Utilidade Capixaba em Sábado, 2 de setembro de 2017

O vídeo de um soldado do Exército chutando um gambá em Cachoeiro de Itapemirim, no Sul do Estado, está causando revolta nas redes sociais (veja acima). Toda a agressão foi filmada por um colega que estava no quartel, localizado no bairro Ibitiquara. O soldado faz parte do Tiro de Guerra, instituição militar do Exército Brasileiro encarregada de formar atiradores.

Nas imagens é possível ver quando o animal aparece em um canteiro que fica no jardim do quartel. O militar vai até o local agride o gambá com um objeto e, em seguida, começa a chutá-lo. No segundo chute o gambá é lançado do lado de fora do imóvel, mas retorna para o pátio. O soldado e o colega, que filma a cena, caem na gargalhada. Em seguida, o vídeo é encerrado.

Revolta

Uma internauta, que preferiu não se identificar, espera que os envolvidos sejam punidos. “É um absurdo. Pelo vídeo dá para ver que o gambá não faz nada. Ele esta lá e o rapaz foi até induzido pelo colega que estava filmando. Eu espero que eles recebam uma punição”, disse.

“Uma pessoa que chuta repetidas vezes um gambá por prazer e se diverte com isso não pode ser normal. Coitado do bicho. Se a presença dele incomodava, podia espantá-lo apenas. O objetivo ali era fazer maldade, a crueldade por si só”, lamentou outra internauta

O outro lado

Procurado pela reportagem do Gazeta Online, o chefe de instrução do Tiro de Guerra, subtenente Menuzzi, informou, por meio de nota, que a agressão do soldado ao animal foi um fato isolado e que não traduz os valores de ética, moral e cidadania ensinados pelo Tiro de Guerra, instrumento de educação e civilidade. Segundo Menuzzi, o soldado envolvido já foi identificado, se sente muito arrependido e lamenta o fato.

Ainda segundo Menuzzi, será aberta uma sindicância para apurar o ocorrido, bem como serão tomadas as devidas medidas disciplinares.

Por fim, Menuzzi afirma que o Tiro de Guerra não compactua com a atitude infeliz do soldado, e está sempre pronto para ajudar a sociedade cachoeirense no que for preciso.

Por Geizy Gomes

Fonte: Gazeta Online

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.