Polícia e ativistas resgatam buldogues de criadouro clandestino em Córdoba, Argentina

Polícia e ativistas resgatam buldogues de criadouro clandestino em Córdoba, Argentina
Os animais foram transferidos para um abrigo e estão à disposição da Justiça.

Em 8 de julho, a Patrulha Ambiental invadiu um criadouro clandestino de Buldogues no bairro de Alto Alberdi, em Córdoba, Argentina. Jovens estudantes que fazem parte do “SomosEpa”, uma equipe de proteção animal, conseguiram resgatar, depois de várias semanas, 20 cães no total.

São cães da raça Buldogue Francês e Inglês, que estavam em péssimas condições de vida e amontoados. Os vídeos falam por si só: cada animal em uma pequena gaiola, cercada por fezes, com fungos, sarna e problemas de obesidade.

Após a denúncia do grupo de proteção, a Patrulha Ambiental de Córdoba realizou a operação e os cães ficaram à disposição da justiça.

“Todos serão levados ao veterinário para que seu estado de saúde seja controlado; uma vez que tenhamos certeza que seu estado de saúde seja ideal, eles serão castrados”, relatou no Instagram Laura Peralta, uma das jovens que resgatou os bulldogs.

View this post on Instagram

CRIADERO CLANDESTINO DE BARRIO ALTO ALBERDI. Hoy después de semanas rogando que esto se diera, lo logramos. Gracias a @dayreyes96 (nuestra coordinadora) y Lau Peralta que nunca dejan de luchar por los animales en necesidad. Se sacaron 20 perros raza bulldogs inglés y francés. Los videos hablan por si solos en las condiciones que vivían. Entre sus heces, su pis, en diminutas jaulas, están con sarna, heridos, con sobre peso, con puntos de las miles de cesáreas que les han hecho. La verdad se encuentran en un estado deplorable. Esto no termina acá, necesitamos ayuda para ayudarlos. Necesitamos colaboración de: – Alimento para perros obesos (Royal obesity, ProPlan ligth, MV obesidad, Balanced control de peso, Sieger control de peso) – Desparasitarios internos. – Dinero para costear castraciones y vacunas. – Collares y correas. – Mantas, colchones, abrigos para los pichos🐕 📌Donaciones personales en Nueva Córdoba (zona sur) comunícate con @romiiaguilera al 📲2302501420 o en Barrio Centenario (zona norte) con @mariacastelli2 al 📲3517 142479. 📌Donaciones a traves de mercado pago, podes colaborar con los siguientes links (enviar comprobante a @cinnojeda por MP o al 📲2964485361) o nuestro e-mail [email protected] (clickealo directamente desde link que se encuentra en el perfil) – $ 100,00 http://mpago.la/2VFXV3b – $ 200,00 http://mpago.la/1Mcf2sQ – $ 300,00 http://mpago.la/27tVpGn – $ 400,00 http://mpago.la/1XY3Ym3 – $ 500,00 http://mpago.la/1kimShh – $ 600,00 http://mpago.la/1Tv6pVU – $ 700,00 http://mpago.la/1zQpdZH – $ 800,00 http://mpago.la/13spt1e – $ 900,00 http://mpago.la/1VhQ23o – $ 1.000,00 http://mpago.la/18hG4PL 📌Donaciones a través de transferencia (enviar comprobante a @naraveliz al 📲2336492413) CVU: 0000007900274084245802 ALIAS: DAYREYES96.UALA Para más info comunicate por DM. Sino podes colaborar con nada de lo mencionado, D I F U N D Í. Somos estudiantes de Nueva Córdoba y ayudamos en lo que podemos. Gracias a cada uno que es parte de esto💪🏾♥️ Tomemos conciencia, así viven los cachorritos que vos compras por $50000/$70000. Sos cómplice de toda esta porquería. Basta de maltrato animal.

A post shared by Equipo de Protección Animal (@somosepa) on

“Um total de 20 animais foi resgatado graças às ações da promotoria e à autorização do juiz para removê-los. Agora eles serão transferidos para um abrigo”, acrescentou a mulher. 

Tradução de Thaís Perin Gasparindo

Fonte: El Doce


Nota do Olhar Animal: Não existem “criadores éticos” de animais para estimação. Não há que se “separar o joio do trigo” como costumam dizer os defensores desta atividade em que só existe “joio”. A atividade é imoral ocorrendo em criadouro legal ou ilegal, pois vergonhosamente transforma seres sencientes em meras mercadorias. E, além disso, a seleção genética praticada para que se tenha os animais ditos “de raça” provoca danos aos animais. Veja no artigo abaixo:

Você faz questão de um cão de raça? Pense duas vezes…

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.