Foto Eduardo Montecino/OCP News

Protetora de cães e gatos faz campanha para comprar uma Kombi em Jaraguá do Sul, SC

A paixão pelos animais foi capaz de mudar radicalmente a vida de Andreia Giacomet, 48 anos. A analista de vendas atua há três décadas como protetora animal e há cinco anos criou o LARsinguLar.

O local abriga, atualmente, 14 cães e 5 gatos, mas muitos outros já passaram pelas mãos da protetora que viu sua vida no centro de Jaraguá do Sul ser transportada para um sítio no bairro Nereu Ramos. Tudo por amor aos animais.

Andreia conta que saiu do apartamento que morava na região central porque, como ela mesmo brinca, “não gostaria de ser minha vizinha”.

“A mudança teve que acontecer, pois a opção era continuar em um apartamento ou sair para ajudar os animais”, ressalta.

Foto Eduardo Montecino/OCP News
Foto Eduardo Montecino/OCP News

No entanto, ela frisa que a responsabilidade deveria ser do município, com programas de diminuição da população de animais e de tratamento e encaminhamento dos que estão nas ruas.

“Hoje nenhum grupo de proteção animal recebe recurso público”, enfatiza.

Vivendo em um sítio no bairro Nereu Ramos, a protetora atua no recolhimento, tratamento, cuidado e encaminhamento dos animais para os lares temporários e para efetiva doação.

Para isso, conta com recursos próprios e doação da comunidade, especialmente com ração e tratamentos médicos.

Um novo desafio

Com mais de 30 anos de atuação, Andreia agora tem um desafio: conseguir recursos para a aquisição de um veículo que possa facilitar todo o translado dos animais e das doações de ração.

Ela afirma que recebe todos os meses pelo menos 200 quilos de doares fixos e, quando há campanhas, o volume aumenta. Sem veículo, ela depende de caronas solidárias.

“Hoje a maior necessidade é a aquisição do transporte porque recebo doações, mas não tenho como buscar e aí conto com a ajuda das pessoas”, diz.

Para viabilizar a compra do veículo que foi apelidado de “Kombi do Scooby”, Andreia organizou uma campanha online que recebe doações espontâneas.

Foto Eduardo Montecino/OCP News
Foto Eduardo Montecino/OCP News

A “vakinha” tem como objetivo arrecadar R$ 20 mil que, segundo ela, são suficientes para comprar o veículo e custear ainda a documentação. Até o momento, a campanha atingiu cerca de R$ 5 mil.

Além de conseguir transportar as doações e fazer o resgate dos animais, o veículo poderia servir para que os papéis se invertessem e ela passasse a dar carona solidária, diz.

“Quando eu tinha carro muita gente pedia ajuda. Hoje, o transporte público de Jaraguá do Sul não permite o translado de animais nem mesmo em caixa e a maioria das pessoas não tem carro para levar os animais dos quais são tutores e os que resgatam. Com um veículo certamente eu faria um “taxi dog” para levar esses animais da comunidade”, destaca.

Transparência nas doações

Prezando pela transparência das doações, a protetora afirma que a única maneira de colaborar com a aquisição é através da campanha online, porque permite a todos acompanhar o avanço dos recursos.

Entretanto, Andreia salienta que ração e até mesmo a quitação das dívidas que tem por conta dos tratamentos dos animais podem ser direcionadas a ela ou diretamente no Hospital Amizade, onde os cães costumam receber tratamento.

“Se as pessoas quiserem ajudar, podem até mesmo ir ao hospital. Hoje tenho uma dívida de cerca de R$ 2,5 mil no meu nome lá”, conta.

Sem conseguir contabilizar quantos animais conseguiu salvar ao longo dos anos, Andreia se emociona ao lembrar da trajetória e garante que não mudaria absolutamente nada.

“Eu não mudaria nada, apesar do esforço, eu não mudaria, faria tudo de novo”.

Para colaborar com a campanha online, basta acessar o site da Vakinha.

Por Adrieli Evarini

Fonte: OCP News

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.