Com pernas e maxilares quebrados, Steve precisa de ajuda para operar

Com pernas e maxilares quebrados, Steve precisa de ajuda para operar
Steve ainda no pátio da empresa, onde foi resgatado (Foto: Direto das Ruas)

Atropelado há cerca de uma semana, Steve teve pernas e maxilares quebrados e precisa de ajuda para ser operado. Há três dias, o cachorro foi resgatado pelo funcionário público Hélio Oliveira, de 60 anos, que agora corre contra o tempo para conseguir recursos para a realização da cirurgia.

 

Hélio contou que antes de ser resgatado, ele ficava junto a outros cinco cachorros em uma empresa de transportes próxima ao aeroporto de Campo Grande (MS), na saída para Aquidauana. Há uma semana, Steve foi atropelado por um veículo.

Vigias da empresa, que eram acostumados a alimentar os animais, o encontraram e se comoveram com a situação. Foi de ligação a ligação que o pedido de ajuda para o cachorro atropelado chegou até Hélio e a sua esposa.

Ninguém sabe que horas foi ou onde foi o acidente. São poucas as chances de sabermos quem foi. Neste momento, não estamos preocupados em achar quem foi, mas em conseguir salvá-lo. A situação é bem crítica, sabemos que as chances deles são pequenas”, disse o servidor.

Somente quando Steve foi internado, o casal descobriu a real gravidade do quadro clínico do cachorro. Apesar de grave, Steve ainda não foi operado, pois está com problemas relacionados às suas plaquetas. Atualmente, está sendo alimentado por meio de alimentos pastosos e para se locomover precisa ser carregado.

“As duas mandíbulas e pernas precisam ser operadas. Até agora, já tivemos gastos de R$ 1.900,00 e a projeção é de que ainda tenhamos mais R$ 4.000,00. A gente nem sabe como que chegou pra gente, descobriram o nosso telefone e vimos que o caso era bem grave e pedimos socorro à protetora Laura, da Ong Fiel Amigos, que está guiando e orientando”, contou.

O casal já procurou a Subea (Subsecretaria do Bem-Estar Animal) para tentar realizar a cirurgia de Steve com a ajuda da subsecretaria na UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul). Porém, Hélio diz que foram informados que na clínica da universidade não há vagas para os meses de novembro e dezembro.

“O Steve ainda deve passar por exames. Agora, nós precisamos de ajuda com recursos, pois o quadro dele é grave e não tem como ficar esperando até janeiro para realizar a cirurgia. A gente vai tentar fazer no particular e é caro”, disse Hélio.

Quem quiser ajudar o Steve com qualquer quantia pode enviar pelo PIX (67) 99667-0939, em nome de Fernanda de Oliveira. 

Por Geniffer Valeriano

Fonte: Campo Grande News