Protetora adoece e voluntários tentam doar cerca de 80 cachorros de abrigo, em Nova Friburgo, RJ

Protetora adoece e voluntários tentam doar cerca de 80 cachorros de abrigo, em Nova Friburgo, RJ

Em Nova Friburgo, na Região Serrana do Rio, há muitas ONGs que recebem animais resgatados que foram abandonados. Um deles é o SOS Abrigo Valéria Lima, que hoje possui 80 cachorros e cerca de 30 gatos. Mas, os bichinhos que estão no local precisam urgentemente de novos lares, já que a Valéria, que cuida do local, está muito doente e não consegue mais cuidar dos animais.

Por isso, voluntários e amigos do abrigo estão fazendo uma campanha para conseguirem lares permanentes e responsáveis para os animais que hoje vivem juntos na ONG.

“Valéria está acamada em outro local, na casa de uma amiga, e tem outro rapaz que é pago para ir no abrigo todo dia, para limpar e tratar. Eles (os cachorros e gatos) precisam sair de lá o quanto antes. Se ela vier a falecer, não tem como mais ficar pagando essa pessoa e os bichos ficam muito isolados, não podem ficar sozinhos”, explicou Luanne Moliari, voluntária do abrigo.

Nas redes sociais, os amigos do abrigo, voluntários e outras ONGs estão ajudando na campanha de adoção dos cães e gatos. O abrigo da Valéria Lima conta com um voluntário só para fazer as entrevistas para saber se a família pode receber o bichinho em casa, com toda segurança e responsabilidade.

“Nós criamos o Instagram @campanhadeadocao para divulgar. E a pessoa que está fazendo as entrevistas é pela Subsecretaria de Bem-Estar Animal e já é preparada para isso. O interessado preciso preencher um formulário e responder diversas perguntas”, explicou Luanne.

Para a adoção, além de preencher o formulário, é preciso enviar uma foto ou vídeo da residência que vai receber o animal. Quem não tiver como enviar, é agendada uma visita para saber das condições do local. E depois que a adoção é feita, ainda há um acompanhamento.

A maioria dos cães do abrigo já é castrada. – Foto: Divulgação/Luanne Moliare

“Depois que a pessoa leva para casa o animal, explicamos a situação, que todos precisam de vacina e remédio de verme, de ração de qualidade etc. A maioria já é castrado, mas alguns não são. Então, vendo que o interessado em adotar não tem condição de manter dignamente, nós não doamos”, disse Luanne.

As fotos dos bichinhos estão nas redes sociais, por meio do Instagram, para que possam ser vistas por quem quiser adotar. Nas imagens, aparece se o cachorro é macho ou fêmea e a idade.

Para quem quiser adotar um cachorrinho, pode entrar em contato pela rede social ou através do WhatsApp (22) 99943-1912. Quem também quiser ajudar com doação, pode entrar em contato pelo mesmo número.

Por Isadora Jaron

Fonte: Portal Multiplix

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.