Aves silvestres traficadas são levadas a habitat no Nordeste por ONG de Jundiaí, SP

Aves silvestres traficadas são levadas a habitat no Nordeste por ONG de Jundiaí, SP
Pássaros apreendidos pela Polícia Rodoviária Federal precisam voltar ao nordeste por não se adaptarem ao frio. — Foto: Associação Mata Ciliar de Jundiaí/Divulgação

Um mês após o resgate de aves silvestres apreendidas com uma quadrilha de traficantes de animais, a Associação Mata Ciliar de Jundiaí (SP) conseguiu levar os pássaros de volta à Bahia, onde é o habitat das espécies.

Eles voltaram para casa

A jornada foi longa mas quando as pessoas se unem em prol de um propósito, não há desafios que não possam ser superados. Os animais que foram apreendidos em Vargem no começo do mês passado puderam voltar para o seu local de origem nessa quinta-feira. Uma viagem de quase 1.500 km que só foi possível graças a contribuição de muitas pessoas que, anonimamente, colaboraram com nossa campanha e à FIAA (Fundação Internacional de Ajuda aos Animais) parceira da Mata que complementou os valores necessários para o pagamento da viagem aérea.Não podemos deixar de parabenizar a Polícia Federal pelo flagrante realizado na Rodovia Fernão Dias que resultou na apreensão dos animais e agradecer muito a toda equipe do Cetas de Vitória da Conquista pelo acolhimento e cuidados para a posterior soltura nos animais no seu local de origem.Associação Mata Ciliar | Preservar vidas é da nossa naturezaSite: http://mataciliar.org.br#MataCiliar #FaunaSilvestre #CRAS #CentrodeReabilitaçãodeAnimaisSilvestres #CentroParaConservaçãodeFelinos #ONG #ConservaçãoAmbiental #EducaçãoAmbiental #Natureza #RecursosHídricos #ViveirodeMudas

Julkaissut Associação Mata Ciliar Perjantaina 7. elokuuta 2020

Das 355 aves silvestres que foram resgatadas, 93 morreram. Como as espécies são acostumadas com o clima mais quente, a médica veterinária da ONG, Cristina Harumi, explicou ao G1 que precisariam voltar para o nordeste, do contrário, não suportariam o clima mais frio do sudeste.

Durante um mês, os animais receberam diversos cuidados como alimentação adequada e também adaptação ao clima com aquecedores e umidificadores.

“Eles estavam num local escuro, com muita sujeira e a grande maioria morreu por falta de água e alimentação”, relata a médica.
 

A Associação lançou uma campanha para arrecadar os recursos para conseguir pagar a passagem do transporte aéreo até a Bahia. A ação também contou com a ajuda de outras instituições.

ONG de Jundiaí recebe cerca de 400 animais silvestres apreendidos em rodovia. — Foto: Associação Mata Ciliar de Jundiaí/Divulgação

A viagem
 
Com tudo pronto, a equipe da Mata Ciliar começou a preparar os animais para o transporte. Em caixas individuais, com água e comida, todos eles foram acomodados de forma segura durante a viagem de avião.

Segundo a associação, tudo foi feito de forma a evitar o estresse dos animais e manter a temperatura durante o trajeto, que durou cerca de quatro horas até o Centro de Triagem de Animais Silvestres (Cetas) de Vitória da Conquista (BA).

“As aves serão levadas para o Centro de Triagem de Vitória da Conquista e serão acomodados em recintos para poderem se recuperar da viagem por uns dias. Depois, vamos levá-los para as áreas de soltura e devolvê-los para a natureza”, explica a médica veterinária do Cetas, Rosana Ladeia.

Fonte: G1 

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.